quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Técnicas de Bariátrica

Atualmente existem várias técnicas de cirurgia bariátrica vou citar algumas delas, Restritivas (visam diminuir a capacidade volumétrica do estômago), Disabsortitivas (objetivam atingir a perda de peso pela incapacidade do intestino de absorver os nutrientes, desvio de Intestino) e Mista (associação das duas modalidades anteriores).

Técnica Cirurgia (As Técnicas )
Procedimento de Número 1 - Balão Intragástrico – procedimento não cirúrgico
Procedimento de Número 2 - Banda Gástrica Ajustável (Restritiva) Procedimento de Número 3 - Bypass em Y de Roux ou Fobi Capella (Mista) Procedimento de Número 5 - Cirurgia de Scopinaro ou Duodenal Switch (Disabsortitivas)
Algumas Variações:
Derivação Bilopancreatica de domene
Desvio Bilopancreático com Preservação Gástrica

Maiores informações das variações click no link:
http://www.gastroplastia.net/tipos_de_cirurgia.html
Balão Intragástrico
O que é o balão intra-gástrico? É uma prótese de silicone, semelhante a prótese que as mulheres usam para aumentar os seios, porém seu formato é esférico, possui uma superfície lisa e apresenta uma válvula por onde é insuflada dentro do estômago do paciente. É conhecido como Bioenterics Intragastric Balloon ou BIB®
Qual o objetivo do balão? A presença do balão dentro do estômago causa uma sensação de plenitude (estômago cheio). O paciente sente-se satisfeito mais rapidamente quando se alimenta. Este fenômeno chama-se saciedade precoce. A saciedade precoce é um dos mecanismos utilizados em cirurgias para obesidade como grampeamento do estômago ou a banda laparoscópica. Outros métodos cirúrgicos utilizam mecanismos disabsortivos através de um encurtamento do intestino. Estes métodos são indicados em pacientes com obesidade mórbida.
Para se saber qual o grau de obesidade é necessário se calcular o:



Quem é candidato a colocar o Balão Intra-gástrico?
Pacientes com IMC abaixo de 35 que não respondem a tratamento clínico por mais de três anos; Pacientes com IMC maior que 35 que não tem condições de serem submetidos à cirurgia por contra-indicação médica; ou ainda aqueles pacientes que não querem se submeter à cirurgia (neste último grupo os resultados geralmente não são satisfatórios - sendo que poucos casos apresentam um emagrecimento significativo)

Como é colocado o balão?

Ao contrário dos outros procedimentos que são cirúrgicos, o balão é colocado através da endoscopia digestiva.


























Foto 1 - Balão vazio dentro do estomago
Foto 2 - A insuflação é lenta e gradual – o volume pode variar entre 400 e 700ml
Foto 3 – Visão final do balão já posicionado e totalmente insuflado

O balão é preenchido com soro fisiológico adicionado de um corante azul chamado azul de metileno. Se o balão romper o corante azul é absorvido pelo intestino e o paciente começa a urinar azul. Neste caso o balão deve ser retirado ou trocado, dependendo da época do tratamento em que acontecer.
ATENÇÃO: balão não explode!
Vou sentir alguma coisa depois? Sim , é muito comum o paciente passar por uma fase de adaptação. Quatro a seis horas após a colocação , a maioria dos pacientes apresentam náusea, vômitos e sensação de peso causando desconforto importante. Todos estes sintomas são tratados com medicação oral e endovenosa e devem passar em dois ou três dias. Se o paciente não se adapta à presença do balão, é realizado novo exame de endoscopia para sua retirada. O que vai determinar o tempo em cada paciente é a sua curva de emagrecimento. Trabalhos científicos tem demonstrado que o volume maior de perda de peso ocorre nos primeiros 4 meses .


Banda Gástrica Ajustável
A cirurgia é realizada por vídeolaparoscoipa, que permite ao cirurgião operar o paciente por meio de pequenas incisões feitas no abdome, sem a necessidade de grandes cortes. Coloca-se uma banda de silicone em volta do estômago, uma técnica restritiva, que limita a quantidade de alimento que o estômago pode receber de cada vez.

Bypass em Y de Roux ou Fobi Capella
O que é a Operação de Bypass Simplificado Tipo Fobi-Capella? É uma cirurgia para o tratamento da obesidade, realizada por vídeo laparoscopia ou por via convencional na qual se realiza uma grampeamento com secção do estômago ( formando a gastroplastia ou câmara gástrica), reduzindo sua capacidade em mais de 80% , em seguida, é colocado um anel de silicone em volta das gastroplastia e é feito um desvio (Bypass) do intestino de cerca de 1 metro (ele tem de 4 a 7 metros), por fim, a gastroplastia é ligada ao intestino desviado (gastroentero anastomose), para que a comida possa passar novamente.

Como Funciona? Essa é um tipo de operação mista com componentes que proporcionam restrição e de má-absorção alimentar, com predomínio da restrição pelo fato de existir o anel de silicone em volta da gastroplastia que impede que a mesma dilate ao longo do tempo e de o Bypass intestinal ser proximal (mais próximo do início do intestino delgado, no jejuno), com cerca de 1 metro. O alimento chega ao estômago e distende a pequena câmara gástrica formada com a operação e induz uma plenitude ou saciedade com pequenas quantidades. O alimento passa lentamente para o intestino onde se processa a digestão. A restrição é dada pela pequena câmara gástrica que se distender além do seu limite (que é menor do que na gastroplastia sem anel) o paciente sentirá mal-estar, podendo vomitar. Caso haja uma sobrecarga de alimentos ou líquidos hipercaloricos (leite condensado, milk shake, sorverte...) isso vai irritar o intestino e provocar diarréia, fazendo com que esse tipo alimento não seja absorvido totalmente.





Cirurgia de Scopinaro (Derivação Bilipancreática)
Nas técnicas disabsortivas promove-se um encurtamento do intestino delgado, reduzindo o tempo de contato dos nutrientes com as células intestinais dificultando sua absorção, a Derivação Bilio-Pancreática de Scopinaro é a principal representante deste grupo. Nessa cirurgia é realizado um grande desvio no intestino conjuntamente com a retirada de uma parte do estômago, o mesmo fica com 300ml. Esse desvio faz com que o alimento percorra a maior parte do intestino sem entrar em contato com as enzimas digestivas e portanto sem absorver boa parte dos acúcares e gordura ingeridos. Após esse desvio o alimento se encontra com as enzimas digestivas no final do intestino delgado tendo apenas 50 cm de intestino com capacidade de absorção.
Quantos quilos se perde com a Cirurgia ? Após a cirurgia observa-se uma progressiva perda de peso que vai até cerca de 2 anos, quando o peso tende a se estabilizar. Na maioria dos pacientes a perda de peso varia entre 50 e 75 % do excesso de peso, com uma média de 63 % para a banda gástrica e de 75 % para as cirurgias de Capella e Scopinaro. Nos primeiros seis meses a perda costuma ser mais intensa, com a maior parte do resultado sendo obtido no primeiro ano, mas podendo melhorar um pouco mais até o quarto ano após o procedimento, principalmente no caso da banda gástrica, onde a perda é mais lenta e prolongada. Na nossa casuística de banda gástrica, onde o peso pré-operatório era 125 Kg, a perda foi de 34 Kg, adquirida nos primeiros dois anos, perdendo ao final do terceiro ano 38 Kg. Isso equivale a 63 % do excesso de peso e 32 % do peso total. Já no grupo dos pacientes submetidos à cirurgia de Capella, a perda média foi de 47 Kg em dois anos, o que representou exatamente 75% do excesso de peso ou 43% do peso inicial.




“Duodenal Switch” ou “Scopinaro II”( Derivação Bilipancreática)
Nestas técnicas retira-se parte do estômago, mais de metade,
Combina um nível de restrição menor com alto grau de disabsorção;
• 0 grampeamento é utilizado para criar uma bolsa gástrica, mantendo sua saída natural;
• A maior parte do intestino delgado é desviada, causando um alto grau de má-absorção dos alimentos.

Resultados:
• Os pacientes estudados conseguiram perda do excesso de peso de 74% em um ano, 78% em dois anos, 81% em três anos, 84% em quatro anos e 91% em cinco anos;
• Oferece menos restrição do alimento consumido do que outros procedimentos discutidos;
• Oferece altos níveis de disabsorção.

Riscos:

Enquanto as principais cirurgias acarretam um certo nível de risco, os riscos e as considerações a seguir são específicos para este procedimento:
• Será necessário um período de adaptação às evacuações, que poderão ser muito líquidas e freqüentes, melhorando no decorrer do tempo, mas que podem
permanecer para sempre;
• Distensão abdominal e evacuações ou gases mal cheirosos;
• Suplementação vitamínica por toda a vida;
• Recomendável a monitoração por toda a vida para cuidados com má nutrição protéica, anemia e doenças ósseas;
• Aumento do risco de formação de cálculo biliar;
• Aumento do risco de remoção de vesícula biliar;
• Irritação intestinal e úlcera gástrica.



Eu fiz esta ultima Duodenal Switch, o estomago fica que nem um cano com 300 ml

2 comentários:

  1. Você consome suplementos nutricionais? Muitos que fizeram cirurgia tem usado nossos produtos com excelentes resultados. Conheça nosso site: www.shopesaude.com.br

    ResponderExcluir
  2. Ola, td bem?
    Nossa até que enfim achei alguem que fez a cirurgia parecida com a minha!
    Pois é, estou com anemia e tomando remedios!
    Tenho 250 ml de estomago(deixaram muito estomago p/ meu gosto!) e 2,5 de intestino. Muitos gases e diarreias fenomenais!!!
    Me conta como vc esta?
    fiz a cirurgia um pouco antes de vc, em 21/06/2010.
    Já linkei seu blog e estou te seguindo!
    bjos

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, adoroooo......